Header Ads

Últimas

Startup incentiva consumo com descontos no verso de notas fiscais

Antes sem utilidade, comprovantes ganham espaço para oferecer vantagens a consumidores e dar visibilidade a empreendimentos bairristas de diferentes segmentos

Por: Redação

Um grupo de jovens empreendedores brasileiros lançou uma moda que está mudando o comportamento dos consumidores e estimulando a economia em cidades de diferentes regiões do país. A ideia é incentivar o consumo por meio de descontos. É isso que propõe a Bom Cupom, criada em 2017 para oferecer cupons de descontos impressos no verso de notas fiscais. Se antes o consumidor precisava correr atrás de descontos, agora eles chegam até o cliente no ato da compra.

A iniciativa, que começou em dois bairros tradicionais de Niterói, município da Região Metropolitana do Rio de Janeiro, deu tão certo entre os comerciantes da região que os sócios decidiram apostar e expandir o negócio para a cidade vizinha, São Gonçalo. O modelo de negócio foi proposto por Matheus Nager, de 22 anos. Filho de um americano e de uma brasileira, Matheus cresceu nos Estados Unidos, onde a oferta de cupons de desconto é uma prática comum e bastante difundida.

- Nos Estados Unidos, a procura por descontos se faz muito presente na cultura do povo, e aqui no Brasil ainda não. Isso não significa que o brasileiro não gosta de desconto. Muito pelo contrário, indica que os brasileiros gostam, mas não têm o hábito de procurar por eles, e foi com esse intuito que a Bom Cupom nasceu, para proporcionar aos consumidores um cupom de desconto ativo, que vai até o consumidor por meio das notas fiscais – explica Nager, que junto dos sócios Diego Amorim, Lucas Lessa e Rodrigo Belém criou a Bom Cupom.

O funcionamento é simples: a Bom Cupom oferece a estabelecimentos bairristas, como supermercados, padarias e farmácias, redução de custo no valor da bobina. Em troca, o verso do cupom estampa anúncios com descontos em outros comércios do local, como restaurantes, pizzarias, sapatarias, barbearias, entre outros.

De acordo com Rodrigo Belém, diretor de estratégia e marketing da Bom Cupom, todos saem ganhando: consumidor e estabelecimentos.

- Esse modelo faz sucesso porque todos ganham. O veiculador, que, além de comprar uma bobina mais barata, agrega mais valor à sua marca, entregando descontos ao cliente; o anunciante, que estampa a sua marca, captando novos clientes; e o consumidor, que não precisa pechinchar e nem ir atrás de desconto.

Para anunciar, o estabelecimento investe 500 reais por mês, por no mínimo dois meses. Os anúncios com as ofertas são impressos 40 mil vezes, garantindo grande alcance para os moradores do local. As promoções são apresentadas de formas variadas: podem oferecer grandes descontos ou outras vantagens em produtos e serviços.

Expansão para modelo de franquia
A ideia deu tão certo que a empresa estruturou um modelo de franquia para ganhar escala e alcançar diferentes regiões do país. Há apenas sete meses atuando dessa forma, a empresa está presente em 16 estados, e a meta até o fim de 2019 é mais que quadruplicar o número de franqueados: de 42 para 200. O investimento inicial varia entre R$ 12 mil e R$ 20 mil, dependendo da área de atuação do franqueado. Além disso, é preciso pagar uma taxa de administração de R$ 690 por mês. O modelo inicial de franquia pode render até R$ 7,5 mil mensais por tiragem, com uma margem de lucro girando em torno de 80%.

Entre as principais vantagens em ser franqueado da Bom Cupom está a possibilidade de trabalhar home office, modelo que, segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), vem ganhando cada vez mais espaço no mercado – entre 2017 e 2018, novos formatos, incluindo este, apresentaram crescimento médio de 3%. Além da ausência de um espaço físico, fator que diminui os custos operacionais, outra vantagem é o rápido retorno da microfranquia, cujo payback é estimado entre três e sete meses.