Header Ads

Últimas

Empreendedor ensinava informática em casa aos 15 anos e, aos 40, lidera rede com faturamento de R$ 21 milhões

Fábio Affonso já foi office-boy; professor de informática; campeão paulista de Jiu-Jitsu. As adversidades não o impediram de sonhar. Hoje ele motiva milhares de jovens através da mentoria CoachingMax da MicroPro

*Por: Redação

Fábio Affonso transforma-se quando a câmera do estúdio, acoplado à sua sala de trabalho, é ligada: é ali que ele grava as aulas do CoachingMax, programa de treinamento exclusivo, criado e desenvolvido por ele para sua rede de qualificação profissional, a MicroPro. O CoachingMax é a atual menina-dos-olhos do irrequieto empreendedor que, aos 40 anos, usa uma linguagem simples, descomplicada e muito eficiente para levar a jovens de todas as suas 37 escolas temas ligados ao comportamento empresarial, como ‘crenças limitantes’, ‘paradigmas’, ‘medo’, ‘autoestima’, ‘foco’, ‘compromisso e comprometimento’, ‘autorresponsabilidade’, ‘metas e objetivos’ e muitos outros, numa somatória de 92 itens, todos eles trabalhados com a ajuda de especialistas.

A transformação do empresário diante da câmera não é fake. Ao contrário, remete ao que ele sempre acreditou: é possível mudar uma história por meio da capacitação e da adoção de novos comportamentos. 
Eu sei que os jovens podem mudar suas vidas, mesmos os de baixa renda, se forem estimulados, da maneira correta. E é justamente isso que estamos fazendo
Fábio Affonso

Foi a partir de uma reportagem que Affonso decidiu investir tempo, conhecimento e recursos na mentoria de jovens, alunos de suas 37 escolas de qualificação profissional. “Li uma pesquisa que mostrou que o comportamento inadequado é o principal obstáculo para a contratação de jovens, superando a falta de qualificação e experiência. Pensei: nossa, oferecemos excelentes cursos, mas, falta o comportamental! Então, com apoio profissional, criei 92 aulas de 30 minutos, que são ministradas antes de todos os cursos adquiridos pelos alunos, para que eles consigam aproveitar melhor a capacitação oferecida. O sucesso foi tão grande que os pais estão procurando as escolas primordialmente pelo CoachingMax”, comemora Affonso.

A ideia do próprio empresário ministrar essas aulas deu-se por alguns motivos. Primeiro, porque ele mesmo se identifica com a história dos seus alunos. Aos 15 anos de idade, Fábio Affonso, nascido na cidade de Limeira, interior de São Paulo, filho de um mecânico e de uma dona de casa, deixou o emprego de office-boy para ajudar seu irmão, cerca de dez anos mais velho, a ensinar informática a alguns vizinhos, num quartinho dos fundos de casa. Com apenas um computador, os irmãos ministravam aulas particulares, porque não havia outra alternativa... 

Eu posso ser mentor desses meninos e meninas porque já passei pelos mesmos problemas que eles. Tive muita dificuldade para estudar, sempre precisei trabalhar e falo de tudo com conhecimento de causa. Essa identificação é necessária para criar empatia – e os depoimentos que recebemos dos alunos nos fazem ver que estamos no caminho certo
Bastante jovem, Fábio Affonso entrou na faculdade de Tecnologia de Sistemas e, aos 17 anos, viu no jornal o anúncio de um curso de Hardware. Caro para suas condições financeiras, ele tentou convencer todos os alunos de sua turma da faculdade a fazerem o curso, mas ninguém aderiu ao projeto, porque tratava-se de um curso de férias. “Se eu levasse amigos para se matricularem, ganharia uma bolsa. Mas, não deu certo e tive que parcelar o valor. O que eu ganhava dando aulas com meu irmão nem dava para cobrir a mensalidade e minha mãe me ajudou a pagá-las”, lembra ele, emocionado. Nesta época, Affonso também ganhou sua primeira medalha como Campeão Paulista de Jiu-Jitsu, mas o empreendedorismo falou mais alto e o empresário venceu o atleta: Fábio Affonso deixou o esporte para dedicar-se ao negócio.

O curso lhe rendeu coisas boas. Foi a partir do conhecimento obtido nele que Affonso criou seu primeiro curso próprio e também foi lá que conheceu Anderson Siqueira, atualmente seu sócio. “Criei um curso baseado no que aprendi e fiz um anúncio gratuito no jornal de Limeira. Conquistei quatro alunos. Com o dinheiro das matrículas, fiz alguns panfletos e comecei a distribuí-los pela cidade. Eram dez mil panfletos, que eu distribuía porta-a-porta, incansavelmente”.

Affonso e o irmão alugaram uma pequena sala e compraram o segundo computador. Em seis meses, atendiam 60 alunos. Para poder abrir uma empresa, foi emancipado pelos pais e conseguiu comprar mais computadores e alugar novas salas. Em um ano e meio, chamou Anderson para ser seu funcionário, sem registro em carteira ou qualquer garantia.

Três anos depois, com 500 alunos e muitos panfletos distribuídos porta-a-porta, os irmãos alugaram uma casa em um bairro completamente residencial, ainda em Limeira, onde chegaram a ter 800 alunos. Foi a hora de abrir a segunda escola, desta vez em Piracicaba, com Anderson como sócio deles.

Como nasceu a MicroPro

Por motivos adversos, em 2005, Affonso e o irmão desfizeram a sociedade e ele seguiu com Siqueira. Nascia a MicroPro, com uma escola em Piracicaba, oferecendo os cursos profissionalizantes de Hardware e Gestão Administrativa. Neste mesmo ano, os sócios inauguraram a segunda unidade MicroPro, em Americana (SP) e, meses depois, a terceira, em Rio Claro (SP). Em menos de um ano, as três unidades somavam mais de mil alunos. “Na cisão da sociedade, eu e o Anderson ficamos com a escola de Piracicaba. Conseguimos levantá-la e ela foi a primeira de nossa rede por dez anos, em número de alunos e faturamento. É um grande case em nossa história, chegamos a ter 1.750 alunos nela”, comenta.

Em 2007, os sócios já tinham cinco escolas e decidiram abrir uma sede em Limeira, com direito a uma editora, a Inova, responsável pela impressão de todo o material didático da rede. Mas, até inaugurar sua sétima escola, Affonso conta que não tinha qualquer patrimônio. “Tudo o que eu ganhava, reinvestia em novas escolas. Não tinha carro do ano, casa própria, nada. Era foco total em abrir novas escolas”, comenta.

A ideia de franquear o negócio surgiu internamente, em 2010. Diretores da própria marca – e até de concorrentes, que não podiam ter escolas das marcas que representavam – procuravam Affonso para abrir franquias. “Eu não entendia de franchising e fizemos alguns contratos simples, concedendo a marca. Mas, meu foco era mesmo abrir lojas próprias”. A marca foi crescendo, sempre oferecendo os cursos que os concorrentes também ofereciam. Até que, com mais de 35 escolas, surgiram duas grandes reviravoltas na história de Affonso e da MicroPro.

A transformação de Affonso e da MicroPro

“Eu estava bem insatisfeito. Olhava para minhas escolas e pensava: eu ofereço exatamente o que todo mundo oferece. Como posso querer ganhar mais, me destacar, vender franquias ou conquistar novos alunos, se sou mediano? Isso me incomodava demais, porque eu tinha consciência do papel que eu exercia”, assume.

Duas ações mudaram completamente o perfil da MicroPro e do próprio franqueador, Fábio Affonso. O primeiro deles foi a forma como a MicroPro trabalha e oferece seus cursos. “Em alguns meses, mudamos completamente a gestão da rede e a forma de operar, passando a oferecer mais de 20 cursos, em vez de quatro, com uma nova plataforma tecnológica, que consome menos recursos e mão de obra. Com essa mudança, geramos uma economia mensal astronômica, bem como atraímos alunos de outras áreas. As vendas aumentaram 20% em dois meses”, comenta.

A segunda e expressiva mudança foi a criação do CoachingMax. Como citado, Affonso viu uma reportagem e, a partir dela, desenhou o curso de 92 aulas comportamentais, que são ministradas a todos os alunos que compram um curso MicroPro, em qualquer área. Ele mesmo é o “Mentor” responsável por gravar as aulas. “Eu não gosto de ser chamado de coach e nem me sinto assim. CoachingMax é um nome fantasia, na verdade eu me sinto um mentor, quase um padrinho desses jovens, porque sei o que eles estão sentindo. São muitos conflitos internos e não é fácil lidar com tanta informação. Por isso, os temas falam sobre tudo o que os jovens sentem”, diz.

CoachingMax é um programa de treinamento que desenvolve atitudes e comportamentos que facilitam a inserção no mercado de trabalho e sucesso profi­ssional. Por meio do aprimoramento das competências, comportamentais, intelectuais e emocionais, a intenção é tornar o participante mais seguro, autoconfi­ante e determinado para agir com responsabilidade e empenho nos ambientes profissionais e pessoais.

Para preparar as aulas, Affonso e sua equipe contam com profissionais especializados em comportamento humano, mas ele faz questão de ser a cara do projeto. No programa CoachingMax, o aluno aprende a atingir metas pessoais e profissionais, a se automotivar e desenvolver a capacidade de vencer desafios; a criar uma inteligência emocional; a vencer a timidez e a aprender a se expressar, usando melhor a comunicação; princípios de liderança; equilíbrio da vida financeira; estabelecimento de relacionamentos duradouros e saudáveis; trabalho em equipe e cooperação; a tomar a iniciativa e ser proativo e a superar limites e bloqueios que impedem seu crescimento. “Eu tenho o desafio pessoal de transformar a vida de meus alunos. E creio que estou conseguindo”, comemora Affonso. Ele tem essa crença pelos relatos que recebe, diariamente, em suas redes sociais. São inúmeras mensagens de seus seguidores, a maioria alunos da MicroPro ou jovens que assistem aos vídeos editados nas redes sociais, que agradece pela motivação passada nas aulas. Mas, os relatos vão além: os pais dos alunos estão se manifestando positivamente sobre o projeto. “Recebemos pais que vêm às escolas para matricular outros filhos especialmente pelo CoachingMax, porque perceberam uma mudança comportamental no primeiro aluno matriculado, que chega em casa mais motivado e com novos hábitos. É maravilhoso saber que temos resultados práticos”, diz.

Um tanto quanto sério e levemente tímido no comportamento empresarial, Fábio Affonso se transforma diante das câmeras do CoachingMax. “Eu troquei a camisa social e os óculos que uso, diariamente, por uma camiseta preta e lentes de contato, para ficar com uma imagem mais próxima dos jovens. Quando falo com eles, minha reserva se acaba e consigo me soltar. Agora, quando visito as escolas, muitos me reconhecem e querem fazer selfies. É uma novidade para mim, ainda, mas estou me acostumando a me aproximar dos alunos. Estou me sentindo renovado com a energia deles, que me faz sentir motivação para continuar investindo nessa troca: eu levo a eles conteúdo para se posicionarem melhor no mercado de trabalho, nos comportamentos interpessoais e na vida, no cotidiano, e eles devolvem tudo isso me mostrando que o esforço da rede MicroPro está valendo a pena, porque conseguem se manter no emprego que conquistam e, além disso, estão com melhor relacionamento em família”, orgulha-se.



Fachadas de escolas MicroPro em Marília, São José do Rio Preto, Catanduva e Limeira, cidades do estado de São Paulo

Próximos passos

Fábio Affonso não se dá por satisfeito com o sucesso da MicroPro, após a reestruturação de sua gestão, e com o CoachingMax. Ele quer mais: agora, o plano é expandir a rede pelo Brasil e criar novos cursos e capacitações. “Eu e o Anderson somos incansáveis e já estamos com muitos planos, a curto, médio e longo prazos. Temos uma equipe bem alinhada e cheia de disposição, então, logo teremos novidades”, prevê.

Com essa história tão cheia de reviravoltas, não dá para descartar a ideia de que, logo, surgirão novidades...