Header Ads

Últimas

Ela largou o emprego de professora municipal concursada para empreender fazendo tortas


Por: Redação

Em 1990, Valéria Verdi de Macedo tinha 22 anos e atuava como professora concursada em uma escola municipal infantil de São José dos Campos. Ela até gostava do oficio, mas, sabia que não queria fazer aquilo pelo resto de sua vida. E, ao assumir uma turma um pouco mais difícil, ela decidiu que já era hora de mudar de ares.

Valéria pediu demissão e resolveu investir na paixão que ela tinha por cozinhar. Alugou uma edícula na Av. Adhemar de Barros, região central de São José dos Campos e começou a fazer tortas doces e salgadas, as mesmas receitas que ela e a mãe costumavam fazer para a família nos almoços de domingo. Era o início a Torteria Haguanaboka.

No comando de tudo, acordava às 7h para produzir as tortas, atender e vender no balcão. As receitas também eram próprias e, já naquela época, a famosa torta de frango com catupiry se tornou o carro-chefe da marca. No dia a dia Valéria foi aprendendo como empreender, galgando seu espaço e conquistando a preferência dos clientes. Em dois anos, a edícula ficou pequena e ela se mudou para um ponto comercial mais espaçoso, na Av. Nove de Julho, o qual ela mantém até hoje.

Sempre primando pela qualidade, tanto nos produtos, com viés totalmente caseiro, sem aditivos químicos ou corantes, Valéria chegou a ter duas lojas, após 10 anos de abertura da primeira, e um quiosque no shopping. Não deu certo. Precisou voltar dois passos no jogo, para um dia avançar de novo. Permaneceu com a loja sede e uma segunda loja no Shopping Colinas. Procurou se especializar, padronizou a gestão das lojas e, em 2017, decidiu iniciar o processo de franquia da marca.

A ideia surgiu pelo fato de Valéria não ter se casado e tido filhos. O desejo de passar o legado da marca, construída com tanto afinco, pra frente, falou mais alto. Hoje, a rede de franquias Torteria Haguanaboka possui 06 lojas em São José dos Campos, Taubaté e Mogi das Cruzes e é pioneira como franquia de' tortas caseiras doces e salgadas no Brasil. Tem como principais diferenciais as receitas livres de conservantes, corantes ou aditivos químicos, além de um ambiente acolhedor e excelência no atendimento. Já possui seis lojas operando no modelo de franchising.

A ideia agora é expandir para cidades com até 400 km de distância de São José dos Campos, onde está localizada a cozinha industrial, que produz toda a matéria prima das tortas comercializadas pelas lojas. As cidades com mais de 300 mil habitantes e grandes centros urbanos, como São Paulo e Grande São Paulo, Campinas e região, Ribeirão Preto e entorno, além de cidades do Sul de Minas, são algumas das que possuem potencial para receber a franquia. Valéria não descarta também uma possível expansão para o estado vizinho do Rio de Janeiro.

O faturamento da Torteria Haguanaboka em 2019 foi de 7 milhões e a tendência é crescer ainda mais. Valéria, que não pára de ter novas ideias, lançou recentemente também outra marca, mais focada na revenda de tortas congeladas para supermercados e outros estabelecimentos: é a La Torta By Haguanaboka, que também funciona no modelo de franquia, com investimento bem abaixo da "marca irmã".