Header Ads

Últimas

Como manter os negócios em meio à pandemia da Covid-19


Montar estratégia de crise, renegociar dívidas e migrar os negócios para o digital são algumas ações que podem auxiliar os empresários durante a quarentena

*Por: Redação

Os efeitos econômicos da pandemia no Brasil têm causado um cenário de incertezas. Por conta das medidas de isolamento social, que vigoram no país desde março, diversos setores de serviços precisaram suspender suas atividades presenciais e, pelo menos 600 mil micros e pequenas empresas, já fecharam as portas durante o período de quarentena, conforme levantamento feito do Serviço Brasileiro de Apoio às micro e pequenas empresas (Sebrae). No entanto, algumas alternativas, como criar novas estratégias, inovar nos serviços ou abrir outros canais de vendas, por exemplo, são essenciais neste momento para ajudar os empresários a diminuírem o impacto econômico e manterem seus negócios de portas abertas.

Segundo Flávio Vinte, CEO da Vivaçúcar, em tempos de crise é necessário estar aberto a mudanças na maneira de fazer negócios. “Para criar estratégias coerentes com a nova realidade, adaptabilidade e proatividade são, mais do que nunca, características imprescindíveis para driblar as dificuldades que a conjuntura econômica global apresenta. Renegociação de dívidas e contratos, ou busca por novos investimentos e projetos podem, por exemplo, ajudar na obtenção de resultados melhores", afirma.

Um dos setores que têm se destacado nessa fase de pandemia, por exemplo, é o do comércio eletrônico. De acordo com recente relatório da Compre&Confie, o e-commerce no Brasil registrou um crescimento expressivo no primeiro trimestre de 2020. O faturamento atingiu R$ 20,4 bilhões, uma alta de 26,7% em relação ao mesmo período do ano passado. Por conta da quarentena imposta em diversos estados, o número de compras online teve um salto no período: 49,8 milhões, número 32,6% maior do que o do primeiro trimestre de 2019.

"Os clientes estão evitando ir ao comércio, pois estão dentro de suas casas, mas a necessidade de consumir continua. Os empreendedores precisam estar atentos a essa nova rotina e investir na presença digital, oferecendo vendas online e entregas em domicílio, se o segmento permitir”, explica o CEO da Vivaçúcar.

Outros setores também estão se reinventando e oferecendo novos serviços durante o período de quarentena. “Academias estão oferecendo aulas por vídeos, o setor de saúde começou a ofertar consultas médicas online, bares e restaurantes que expandiram seu cardápio para o delivery. Este são alguns exemplos que demonstram como mudar a estratégia do negócio permite que ele possa continuar ativo mesmo com as restrições da pandemia”, pontua Vinte.

O executivo acrescenta ainda que montar uma estratégia de crise, com metas, ações claras e indicadores de acompanhamento é primordial para a empresa atravessar este período e mantendo os objetivos a curtos e longos prazos. “Manter um planejamento ideal e definir planos claros ajuda os empresários a não perderem o foco e buscarem investimentos que estejam alinhados com as suas competências e cultura organizacional”, declara.