Header Ads

Últimas

Franquias de Educação investem em muita criatividade para a retomada

Marcas criaram todas as condições favoráveis para que seus alunos retomassem as aulas – e o resultado está sendo positivo

Por: Redação

Como ficará a volta às aulas, ainda durante a pandemia? A pergunta, mais do que debatida, foi tema de inúmeras reuniões estratégicas de redes de ensino. Mais do que reter o aluno, não perdendo matrículas, as escolas preocupam-se com a saúde deles, de seus funcionários e das famílias de todos. Por isso, cada uma encontrou uma forma de iniciar esta retomada, de maneira a transmitir segurança aos responsáveis pelos menores e aos próprios alunos, quando maiores de idade.

Quando se pensa numa rede de franquias, a questão é bem organizada. “Por se tratar de um negócio formatado, com padrões que devem ser seguidos por todas as unidades franqueadas sob a bandeira da mesma marca, é preciso que o franqueador coordene a estratégia a ser adotada, ouvindo os franqueados, que estão na ponta, em contato com o cliente final”, explica Melitha Novoa Prado, advogada especializada em franchising e varejo, com experiência no atendimento de grandes marcas, há mais de 30 anos.

Ela diz que apenas quem tem muita experiência consegue organizar tudo estrategicamente, para que as ações sejam realizadas de forma a contentar o cliente, respeitar as normas sanitárias vigentes e, ainda, encaixar tudo na dinâmica organizacional, que envolve horários de professores, adequação de calendário, ajuste pedagógico e tantas outras variáveis. “E é justamente por isso que o franqueado adquire uma franquia: ele precisa da experiência do franqueador para que, juntos, resolvam problemas. Essa é uma das grandes vantagens do Franchising”, completa. 

Cinco franqueadoras já retomaram as aulas presenciais. Cada uma, aqui, conta sua experiência, sendo que todas elas afirmam: não foi fácil, não está sendo fácil e não será fácil. Mas, elas estão operando novamente, para que o aprendizado de seus alunos não pare e, mais do que isso, que suas marcas sobrevivam a mais uma crise. Conheça as estratégias de cada uma delas:

CEBRAC



O CEBRAC (Centro Brasileiro de Cursos) tem 90 unidades no Brasil e conseguiu reabrir 30% das suas escolas. Desde Março, início do isolamento no país, concedeu alguns cursos gratuitos, 100% online. Além disso, disponibilizou vagas para os pais e/ou responsáveis dos estudantes por meio do CEBRAC Empregos - Agência que encaminha os estudantes a vagas no mercado de trabalho. Estendeu esse benefício aos pais devido a alta taxa de desemprego desde o inicio da pandemia. Com o retorno gradual das unidades, implantou o sistema híbrido e terá aulas online e presencial.Todas as escolas já estão adaptadas com esse novo sistema. Todas as unidades fecharam durante a quarentena e só retornaram com os devidos decretos de cada cidade. Para a reabertura não houve investimento extra e está programada uma inauguração para mês de Setembro, na cidade de Blumenau. Os principais desafios da retomada foi tornar as aulas presenciais para ao vivo online. Houve muito treinamento com a equipe pedagógica de todo o país. Na visão do Rogério Silva, Diretor do CEBRAC, a pandemia transformou a educação na forma de ensinar e o CEBRAC já está 100% adaptável a essa nova forma de aprendizado.


Instituto Gourmet


O Instituto Gourmet, maior rede de franquias de ensino profissionalizante em gastronomia, já possui 59 unidades em exercício. Para o retorno, rede criou um manual informativo para que a unidades sigam todos os protocolos e medidas de segurança. No material, a rede orienta sobre a importância da higienização pessoal e de produtos e materiais de uso, além de reforçar a importância de seguir as orientações do Ministério da Saúde. Hoje, devido a todos os protocolos, cada turma tem em média 12 alunos por aula. A rede informa que houve uma boa aceitação entre os alunos e as unidades funcionam com 70% de ocupação média nas salas. A expectativa é de atingir o 100% das escolas com aulas presenciais até o final de setembro. Numa unidade do Instituto Gourmet, investem-se cerca de R$ 250 mil, com faturamento mensal médio estimado de R$ 110 mil e lucratividade entre 25% e 35%. 


Maple Bear 



A Maple Bear, rede de ensino bilíngue com metodologia canadense, criou um plano de retorno que inclui a experiência de unidades e países que já retomaram às aulas presenciais, incluindo investimentos em equipamentos e adaptações, rígido protocolo sanitário e planejamento acadêmico de curto e médio prazo. A rede contou com a assessoria da Sociedade Brasileira de Infectologia para supervisão dos protocolos. Tudo isso, em cinco eixos: reconstrução do relacionamento com os alunos, novos procedimentos de comportamento e rotinas, focar a programação das aulas e atividades nos conhecimentos essenciais, analisar o desempenho dos alunos no período de isolamento social e compartilhar com toda a comunidade o plano de retorno às atividades na escola. Uma das principais medidas é o retorno gradual com a criação de uma escala de turmas por dia, um número reduzido de salas ou com foco em determinada faixa etária, de acordo com as regras locais.

MicroPro Desenvolvimento Profissional e Comportamental 



Com 38 escolas em cidades paulistas, a rede de ensino profissionalizante aproveitou a pandemia para reformar algumas escolas e adequar o ambiente de outras para receber os alunos com segurança. Além dos protocolos básicos de higiene, já bastante difundidos, as escolas MicroPro negociaram com seus alunos (ou com os responsáveis por eles) horários em que fosse possível dividir as turmas. “Cada unidade franqueada criou um organograma de aulas, de forma a atender as turmas com o menor número de alunos possível. Assim, apesar de aumentarmos a folha de pagamento, contratando mais mão de obra para a divisão de turmas, conseguimos dar a todos a segurança necessária para a retomada”, completa. A MicroPro Desenvolvimento Profissional e Comportamental é uma microfranquia, com cara de gente grande: numa escola, investem-se entre R$ 89 mil e R$ 109 mil. A marca não cobra taxa de franquia. 


Minds Idiomas 




A Minds English School tem 70 unidades no Brasil e conseguiu reabrir 90% das suas escolas. Desde Março, inicio do isolamento no país, iniciou o curso 100% online. Com o retorno gradual das unidades, implantou o sistema híbrido em que o professor ministra as aulas de inglês presencial e remoto, ao mesmo tempo. Todas as escolas já estão adaptadas com internet, câmera e áudio para essa finalidade. Todas as unidades fecharam durante a quarentena e só retornaram com as autorizações de cada município. Para a reabertura houve um investimento extra para essa parte de tecnologia das aulas híbridas. A Minds continuará com o sistema aula presencial e online. O principal desafio da retomada foi treinar os funcionários para se adaptarem a nova realidade. Na visão da Leiza Oliveira, CEO da Minds, a pandemia fortaleceu o sistema de aulas híbridas que já estava no escopo da franqueadora, a pandemia agilizou a implantação desse novo sistema. 


Via Certa Educação Profissional 



A rede de franquias Via Certa Educação Profissional, especializada em cursos profissionalizantes, viu a venda de cursos aumentarem em 50% somente no mês de julho, frente aos outros meses durante a pandemia atingindo o mesmo nível de antes da pandemia, com cerca de 40 matrículas por mês. Durante a quarentena a rede investiu em plataforma com transmissão on-line e vem trabalhando com o ensino remoto como forma de continuar atendendo os alunos. “Depois do decreto que a enquadrou como "educação complementar" foram feitas todas as adequações recomendadas pelos municípios e as unidades estão atendendo com 40% da nossa capacidade. Isso é válido apenas para as unidades do Estado de São Paulo onde a cidade está na fase amarela. As que ainda estão na fase laranja estão atendendo com 20% da capacidade. O aluno pode escolher fazer o curso na escola ou em casa. Estamos voltando aos poucos, priorizando os cursos que tem aulas práticas”, explica André Oliveira, diretor comercial da rede
 

Yes! Idiomas 



Foram quatro meses de aulas online com o fechamento das escolas, provocado pela pandemia. Com o início do segundo semestre letivo, a YES! Idiomas continua investindo no ensino à distância, mas começa a reabrir em locais que já permitiram a flexibilização no segmento. As unidades de Cotia, em São Paulo; Jardim Camburi, em Vitória, no Espírito Santo; e Manaus, no Amazonas, voltaram com as aulas presenciais. No Rio de Janeiro, as unidades cariocas de Saracuruna, São Cristóvão, Ramos e Recreio dos Bandeirantes também estão abertas. Tudo está sendo feito com todos os cuidados necessários de higienização e reorganização de espaços e horários para manter a segurança e a saúde de todos. Os alunos também têm a opção de continuar no modelo online montado pela Rede, com aulas ao vivo, onde eles interagem por videoconferência com professores e colegas de turma. E o método tem um diferencial importante. Na plataforma da YES!, o aluno também tem acesso a aulas gravadas nos estúdios montados pela empresa, com todo o conteúdo programático. Uma chance de assistir às lições inúmeras vezes, para revisar e reforçar o aprendizado